O representante de Comércio dos EUA anunciou nesta quarta-feira, 01, que considera elevar a tarifa de importação sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses de 10% anteriormente planejado para 25%

Associated Press

02 Agosto 2018 | 08h51

O governo da China apelou nesta quinta-feira para que os Estados Unidos mantenham e calma e “corrijam sua atitude”, após a ameaça americana de impor uma tarifa mais alta do que o antes mencionado sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, em uma disputa sobre política tecnológica.

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Geng Shuang afirmou que a administração de Pequim está aberta ao diálogo, mas não deu indicação sobre o status das possíveis negociações. Além disso, acrescentou que, se necessário, o país irá retaliar para defender seus interesses.

Donald Trump
Trump quer elevar tarifas de 10% para 25% Foto: AFP PHOTO / Nicholas Kamm

O representante de Comércio dos EUA anunciou na quarta-feira que considera elevar a tarifa de importação sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses de 10% anteriormente planejado para 25%. Isso reflete a frustração americana com uma retaliação anterior dos chineses em resposta à tarifa americana sobre aço e alumínio.

“Nós pedimos aos Estados Unidos que corrijam sua atitude e não tentem chantagear a China, porque isso não irá funcionar”, afirmou Geng em entrevista coletiva. “Nós aconselhamos os Estados Unidos a ser ponderados e evitarem simplesmente agir por impulso, caso contrário ele acabará por se prejudicar.”

De acordo com o porta-voz, “a porta para o diálogo está sempre aberta”, mas este deve ser “baseado no respeito mútuo, na igualdade, nas regras e na credibilidade”. “Agora, os EUA fazem coerção e pressão contra outros de maneira unilateral. Isso só pode ser contraproducente”, afirmou o funcionário.

By |2018-08-03T08:33:34+00:00agosto 3rd, 2018|Uncategorized|